Estando inserido nos movimentos da natureza, se entendermos que o homem é natureza – não se opondo a ela como um existente de “outra” natureza – então o pensamento humano é pensamento da natureza. Sendo assim, podemos indagar se há – e como são – as linguagens e manifestações do pensamento que não apenas a humana. Esse horizonte de reflexão reencanta o horizonte do pensar e pode, no limite, fazer do próprio cosmos um pensamento em si, manifesto em suas arestas, em suas curvas, na matéria, na energia, no espaço e no tempo – melhor, no espaço-tempo – do próprio universo. O cosmos inteiro pode ser pensamento, cujos pensares humanos […]